Categories Dicas

Ei, você aí que tem mais dores no inverno, sabe por quê isso acontece?

A prostração causada pela queda da temperatura reduz os movimentos do nosso corpo causando a dor. Entretanto, a maioria das pessoas que sofrem com a mudança do tempo tem uma vida sedentária e/ou lesões crônicas. Já os que mantem uma vida ativa, é muito comum deixarem de praticar atividade física no inverno, o que acaba acentuando as dores e rigidez muscular.

Temperatura

Com a temperatura mais baixa, nosso corpo entende que precisamos manter a temperatura em órgão vitais, fazendo com que haja diminuição do fluxo sanguíneo nos músculos e articulações, facilitando as contraturas e distensões musculares. O volume de roupas e nossa postura encolhida também são responsáveis, porque diminuem a mobilidade e lubrificação de nossas articulações, aumentando o impacto e atrito entre os ossos.

Outro ponto que devemos citar é que dias nublados e cinzentos podem desencadear crises depressivas durante esta estação do ano. A estimativa é de que, em países onde o inverno é bastante rigoroso e com dias de pouca luminosidade, cerca de 10% da população desenvolva a depressão de inverno, ou depressão sazonal.

Mas, se fisiologicamente nosso corpo sofre com o inverno, o que podemos fazer para nos mantermos sem dor durante todo o ano?

A resposta é ATIVIDADE FÍSICA.

Se manter ativo durante esse período aumenta o fluxo sanguíneo, elevando a temperatura do corpo e a oxigenação de nossas células; produz líquido sinovial, melhorando a lubrificação articular; e mantem nosso cérebro bombardeado de hormônios da felicidade, que são a Dopamina, Endorfina, Serotonina e Ocitocina, nos mantendo afastados da depressão.

No âmbito da fisioterapia, a liberação miofacial e a ventosa terapia podem ser utilizadas como prevenção de lesões, aliviando as contraturas e congestionamentos sanguíneos que possam resultar em dor e lesões.

Alongamentos

Nesse período é ainda mais importante preparar o corpo com aquecimento e manter alongamento adequado. Primeiro, precisamos aquecer todas nossas articulações, justamente para aumentar a chegada de oxigênio e energia nos músculos, e liberar o líquido sinovial, reduzindo as chances de crises dolorosas tanto durante quanto após a atividade. E no final, devemos alongar toda a musculatura trabalhada, promovendo relaxamento e realinhamento das fibras musculares, evitando assim as contraturas. E lembre-se, o acompanhamento com um educador físico é essencial para não se lesionar durante o exercício.

Mantenha-se ativo durante o ano todo que assim suas dores não vão aparecer nem para passar férias!  

Autor: Ariane Cruz Scolari • Crefito 251084-F

• Instagram @ariane.scolari

Leia também